Mobilização reforça combate à hanseníase em Piracuruca

Em esforço conjunto com o Governo do Estado, ações estão sendo realizadas para reduzir os indicadores da doença

Como parte das ações de prevenção e conscientização de combate à Hanseníase, a Prefeitura de Piracuruca lança uma campanha educativa dirigida à população e aos profissionais de saúde do município. Com o slogan "Hanseníase: quanto antes você descobrir, mais cedo vai se curar", a iniciativa busca orientar e identificar os sinais e sintomas da doença visando o diagnóstico precoce.

Em 2016, dados divulgados pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde apontam que o Brasil registrou 28.761 novos casos. Na pesquisa, o Piauí apresenta uma taxa de 31,68 casos para cada 100 mil habitantes.

Como reforço das estratégias de enfrentamento à doença, a Secretaria de Saúde de Piracuruca têm intensificado ações, sobretudo na semana que marca o Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, celebrado no próximo domingo (29). Em Piracuruca, a divulgação está sendo realizada nas unidades de saúde e nas igrejas do município, aproveitando a boa movimentação do público.

“Nosso plano de atuação na campanha propõe uma abordagem integrada no sentido de ampliar a divulgação e conscientizar a população para o diagnóstico oportuno e a oferta de tratamento gratuito, caso necessário. A Secretaria de Saúde tem ampliado a divulgação desta e de outras campanhas, de modo a garantir uma maior participação da população”, explica a coordenadora da Atenção Básica e Epidemiológica de Piracuruca, Francielle de Castro Silva.

Francielle acrescenta que a ação é fundamental no enfrentamento da doença como problema de saúde pública. “O plano estratégico, com metas graduais a serem alcançadas, mostra o fortalecimento do compromisso nas políticas de enfrentamento da doença. As pessoas precisam entender os riscos, mas tendo a certeza que o tratamento existe para a cura da doença”, frisa a coordenadora.

Sobre a Hanseníase 
A Hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, provocada pela bactéria Mycobacterium leprae. Mesmo diante do alto poder incapacitante, onde historicamente a Hanseníase foi estigma de exclusão dos pacientes, atualmente a doença tem tratamento e cura ofertado gratuitamente nas unidades de saúde.

Dados do Ministério da Saúde de 2015, destacam que houve um recuo de 25,7% na taxa de prevalência da doença em comparação aos anos anteriores. Para ampliar ainda mais esse percentual, as campanhas têm sido fortalecidas em todos os estados e municípios do país.

Fonte: ASCOM

Notícias Relacionadas

Saúde 4483709134064450614

Publicidade



Arquivo de Notícia

Parceiros

item