Polícia é acionada para investigar suposto sequestro em Piracuruca

Na tarde desta terça-feira (06/12), foram compartilhadas nas redes sociais a divulgação de um suposto sequestro de uma menor residente no bairro Baixa da Ema, muitas pessoas repassando diversas informações a respeito do caso, mas nada de fato que justificasse o sumiço da jovem.

A tia da menor sumida, foi até a 5ª Companhia  da Polícia Militar acionar a guarnição que estava de plantão, para tentar lucidar o caso, durante o relato a tia recebe uma mensagem informando que o casal em um carro branco havia chegado com a menor em sua casa, o capitão Alexandre Augusto, acompanhado do soldado Carvalho e o Conselheiro Tutelar Moisés, foram até a residência, muitas pessoas se aglomeravam no local, curiosos com a movimentação.

Uma revista foi realizada no carro dos acusados, nada foi encontrado, todos os envolvidos foram conduzidos a delegacia para prestar esclarecimentos.

A menor disse que conhecia os dois, eram representante de jóias e a mãe dela vendia produtos para eles, os mesmos vieram prestar conta e a jovem acompanhou os dois até o local onde sua mãe estava, localidade Baixinha, interior de Piracuruca.

Durante entrevista, a tia da menor informou que a jovem havia saído com duas pessoas desconhecidas em um carro branco, ninguém sabia o paradeiro dela, o pânico tomou conta e os amigos da família começaram a postar nas redes sociais o que havia acontecido e pedindo ajuda para encontra-la.

As duas pessoas que são de Juazeiro do Norte-CE e que foram acusadas de sequestrar a menor, estavam bastante assustados e explicaram a equipe de reportagem o que realmente havia acontecido, "Todos os meses a gente vem aqui prestar conta com nossos vendedores, hoje viemos até a casa da mãe da menor e ela não se encontrava, então ligamos para ela e a mãe autorizou que fôssemos com a menor até o encontro dela, logo após tratar sobre o assunto, tínhamos que ir ao município de Caraúbas resolver outras pendências e solicitamos a mãe da menor novamente, para que a jovem fosse conosco até lá, já que era caminho e logo depois deixaríamos ela em casa, da mesma maneira que a pegamos e assim fizemos, mas para o nosso espanto, quando chegamos na casa da menor, haviam várias pessoas acusando a gente de sequestro, estou bastante assustada com tudo isso, porque sou avó e nunca poderia imaginar uma barbaridade dessa", finalizou a senhora.

O delegado Hugo Alcântara escutou as partes e solicitou que os familiares e amigos da menor, fossem aos mesmos meios de comunicação se retratar a respeito do ocorrido, o rapaz e a senhora que foram acusados de sequestro, não quiseram prestar queixa sobre a denúncia caluniosa.

Notícias Relacionadas

Policial 930113378667038020

Publicidade



Arquivo de Notícia

Parceiros

item