Queda no repasse dos convênios preocupa o Governo; Uespi será a mais prejudicada

O diretor de Orçamento da Secretaria de Planejamento (Seplan), Vagner Ximenes, defendeu a proposta orçamentária cautelosa encaminhada pelo Executivo referente ao próximo ano. Ciente da situação financeira do Estado, o gestor indicou que uma das maiores preocupações diz respeito a queda no montante dos convênios federais transferidos ao Piauí, em alguns órgãos ou instituições a perspectiva é que o decréscimo possa atingir até 50%. Na Uespi (Universidade Federal do Piauí), por exemplo, o valor teria uma redução de R$ 14 milhões para R$ 7 milhões em um ano. “A Uespi, não somente ela, mas todos os órgãos do Estado tiveram queda nos repasses dos convênios transferidos ao Estado, tivemos uma queda de 50% no montante total previsto no montante dos convênios, a Uespi também teve essa queda, ficou nesse patamar e diante a desenvoltura da economia, a União tendo mais recursos disponíveis poderá transferir esses recursos e alavancar algo maior para que seja corrigido esse valor que veio abaixo”, afirmou o diretor.

No caso específico da Uespi, por exemplo, a relatora do Orçamento 2017, a deputada estadual Flora Izabel (PT) sinalizou para a busca de alternativas, de modo que a instituição garanta os recursos necessários ao desenvolvimento de todas as atividades. “É de fazer uma reunião antes da audiência pública, trazer o reitor, a área de planejamento, e ver quais alternativas também além dessa questão do orçamento Executivo, uma conversação com deputados federais, senadores, para apresentar uma emenda de R$ 5 milhões, R$ 6 milhões, para que também venha ampliar o orçamento da entidade, nós somos muito sensíveis sobre a questão da Uespi, o plano de carreira dos técnicos também já passou por negociações com a administração, então a gente está muito aberto a uma conversação com a Uespi”, afirmou.

A discussão da composição do orçamento do próximo ano vem se consolidando como um grande desafio da gestão, tendo em vista a previsão de queda nos repasses dos convênios federais e a necessidade de se enxugar os gastos. “ Nós temos um grande desafio a enfrentar no Piauí, cumprir o orçamento até o final do ano, em 2017 os números não são diferentes de 2016, todo mundo quer receber seu salário, seu décimo terceiro e o Piauí é um Estado que depende muito do serviço público, por isso essa preocupação do nosso governador, de um Estado enxuto, um Estado organizado”, indicou Flora Izabel.

Na última semana, o reitor da Uespi, Nouga Cardoso esteve reunido com a bancada federal piauiense em Brasília, na ocasião, ele conseguiu o compromisso de emendas no valor total de R$ 2 milhões para aplicar o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

Fonte: www.meionorte.com

Notícias Relacionadas

Política 7095367522890366828

Publicidade



Arquivo de Notícia

Parceiros

item