Relatório aponta que ameaça e injúria são crimes recordistas contra mulher

A delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher, fez um alerta ao divulgar o balanço das ocorrências dos últimos oito meses. Segundo ela, o crime recordista de pedido de socorro é a ameaça. Para Vilma, esse crime é a porta de entrada para a violência doméstica e a morte de mulheres no Estado. De janeiro até agosto deste ano, a delegacia registrou 965 ocorrências. Em 2016 foram 1.376 somente no Distrito do Centro. 

Liderando as queixas é o crime de ameaça com 484 registros em 2016 e 310 já este ano. Em segundo aparece injúria com 428 e lesão corporal com 206 registros.

Para Vilma Alves, as autoridades e familiares não levam a sério quando ocorrem esse crime. 

"A ameaça é um dos piores crimes para as mulheres, pois  abala o psicológico, amedronta, a vítima não tem paz. Isso causa depressão, ela se isola  e a é aporta para outras agressões mais graves e até a morte", disse Vilma Alves.

A Delegacia registrou este ao 17 casos de assédio sexual ligado a instituições públicas e provadas envolvendo professores, chefes e patrões. O assédio moral foram 21 abertura de inquéritos. 

Vilma Alves esteve na solenidade que anunciou a realização de um diagnóstico de combate a violência contra a mulher em Teresina. Ela reforçou o pedido para que o levantamento - que será feito em 12 meses - tenha uma dedicação ao crime de ameaça.

O relatório de violência doméstica e familiar divulgado por Vilma Alves aponta crimes como constrangimento ilegal, estupros, tortura, maus tratos e sequestro para manter em cárcere privado.

Fonte: Cidade Verde

Notícias Relacionadas

Piauí 7255195879317162451

Publicidade

Acessos

Inscreva-se

FACEBOOK

Arquivo de Notícia

Parceiros

item