Polícia através de denúncia anônima fecha mais uma "Boca de Fumo" em Piracuruca

Polícia Militar através de uma denúncia anônima fechou uma "Boca de Fumo" que funcionava em uma residência no Conjunto São Raimundo em Piracuruca, foram detidos o proprietário da residência, identificado como Luiz Cardoso Araújo (48 anos), em sua companhia estavam Luiz Henrique Gomes da Silva (18 anos) e o seu irmão, o menor V.E.G.S. (16 anos).

Na manhã desta terça-feira (08/08), a Polícia Militar de Piracuruca, com a guarnição composta pelos soldados Elvis e Benício, cabo Jader e comandada pelo sargento Vaz, recebeu uma denúncia anônima, sobre uma residência que funcionava como "Boca de Fumo" no Conjunto São Raimundo, os policiais se dirigiram até o local e se depararam com os três elementos em frente a casa informada, logo que realizaram a vistoria encontraram uma sacola com umas trouxinhas de maconha e uma quantia em dinheiro trocado, ao entrar na casa, em uma vasculha pelo interior, encontraram um bloco de maconha, que seria dividido em partes menores para montar as trouxinhas e serem vendidas, além de celulares, jóias e um facão.

Os três acusados,  Luiz Cardoso, Luiz Henrique e o menor V.E.G.S., foram detidos e conduzidos até a delegacia para prestar esclarecimentos. Luiz Henrique e o menor V.E.G.S., já eram conhecidos dos policiais.

O menor V.E.G.S. coleciona várias passagens por tráfico, recentemente foi encaminhado para o Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina, mas logo retornou para Piracuruca.

Luiz Cardoso Araújo, proprietário da residência, falou em sua defesa sobre sua detenção, "Essas coisas eu pego com o sujeito chamado "Erasmo", ele é meu vizinho, ele vendia e me passou pra mim vender pra ele, eu estava ganhando R$ 1 em cada droga, tem 4 dias que eu comecei a vender. Minha mulher que trabalha para sustentar a casa, eu faço apenas uns enganchos para pescadores. Estava querendo largar a vida do tráfico por causa dos meus filhos, mas me convenceram a continuar", disse Luiz Cardoso.

Luiz Henrique Gomes da Silva, que é conhecido dos policiais e irmão do menor V.E.G.S., que saiu recentemente do CEM, também falou sobre o caso que lhe envolve, "Eu só estava lá, nem sabia que ele mexia com isso, nunca passei por isso. Eu usava drogas, mas parei de usar já tem um tempo", disse Luiz Henrique.

As autoridades solicitam a quem tiver sido vítima de qualquer ação criminosa no município, que acione a Companhia de Polícia Militar e compareça a delegacia para registrar o Boletim de Ocorrência, agilizando o processo judicial destes crimes.

Ligue para polícia:
(86) 3343-1190

Notícias Relacionadas

Policial 4077347630113430834

Publicidade

Acessos

Inscreva-se

FACEBOOK

Arquivo de Notícia

Parceiros

item