Preso por fraudar concurso da PM-PI diz que recebeu questões por WhatsApp

Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) deu seguimento na manhã de hoje sexta-feira (7) à operação para prender e arrecadar provas da fraude no concurso da Polícia Militar do Piauí. Um candidato foi preso suspeito de vender a prova de português e, segundo o delegado Kleydson Ferreira, ele disse ter recebido as questões por WhatsApp e que não sabe quem vazou a prova.

Ele destacou que o candidato faria a reaplicação da prova no próximo domingo (9). Em depoimento, o rapaz contou ter recebido um dia antes da aplicação e disse que repassou para duas pessoas, cada uma teria pago R$ 2 mil.

"A negociação incluía ainda o pagamento de 10 vezes o salário recebido caso o candidato fosse aprovado. Ele vai responder por associação criminosa devido a essa comercialização, mas sabemos que ele não recebeu apenas um dia antes da prova. Pelo menos três dias antes ele já tinha acesso", disse o delegado.
Delegado diz que suspeito está sendo investigado por associação criminosa (Foto: Fernando Brito/G1)
Além da prisão, um mandado de condução coercitiva e cinco de busca e apreensão foram cumpridos. O candidato conduzido faria parte do esquema de vazamento, mas a sua participação ainda está sendo apurada. Entre o material apreendido estão pen drives, computadores, celulares e notebooks.

"Todos os mandados foram cumpridos somente em Teresina. As duas pessoas foram levadas ao Greco, onde prestaram depoimento", acrescentou o Willame Moraes.

A polícia, contudo, continua apurando a origem do vazamento. Ainda não se sabe se a própria organizadora tem envolvimento com a fraude ou se algum funcionário agiu sozinho.
Delegado Riedel Batista destacou o combate a fraudes de concurso no Piauí (Foto: Fernando Brito/G1)
Segurança

O delegado geral Riedel Batista destacou que a polícia permanece atenta em relação às fraudes de concursos no Piauí e os mandados cumpridos nesta sexta-feira são a prova de que o Greco vem trabalhando para prender os envolvidos. Ele reforçou que vai manter a mesma estrutura de segurança para a reaplicação da prova neste domingo (9).

"As polícias civil, militar e o Serviço de Inteligência vêm trabalhando firme desde a realização do último concurso, com todas as equipes em campo e verificando todas as denúncias que chegam. A partir de hoje, vamos ficar 24h de plantão recebendo as informações para manter a lisura do concurso nesta reaplicação da prova", comentou Riedel.

Entenda o caso

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) decidiu anular a prova objetiva para o concurso da Polícia Militar do Piauí após a prisão de 12 candidatos suspeitos de tentativa de fraude. Para a reaplicação da primeira etapa, a Universidade Federal de Pernambuco foi escolhida para a elaboração e impressão das questões objetivas da nova prova.

Na primeira aplicação da prova, o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) prendeu dois candidatos flagrados com cinco questões da prova de português. Confirmadas as suspeitas, os envolvidos no esquema responderão por fraude ao certame de interesse público. Enquanto os outros candidatos estavam com celulares ou gabaritos que não foram comprovados como oficiais.

Um total de 32.010 candidatos se inscreveram para concorrer às 480 vagas ofertadas pela PM-PI. Para a reaplicação das provas não foram reabertas as inscrições do concurso e os candidatos inscritos são mantidos, com exceção dos suspeitos de fraude que foram eliminados do certame.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas

Piauí 5703617895159920383

Acessos

Inscreva-se

FACEBOOK

Arquivo de Notícia

Parceiros

item