Padres vão à polícia denunciar falso seminarista que atua em bairros de Teresina

Padres que compõem os três seminários no Piauí vão à Polícia Civil denunciar a atuação de um falso seminarista. O suspeito- que se apresenta como Pedro- foi visto recentemente nas zonas Sul e Norte de Teresina abordando moradores e pedindo dinheiro para custear uma viagem ao santuário do Divino Pai Eterno, na cidade de Trindade-GO. O padre Anderson Fábio, responsável pelo seminário Propedêutico, esclarece que a atitude não faz parte da conduta dos seminaristas e lamenta o caso. 

"Infelizmente, a pessoa está se utilizando de má fé, usando nome de uma instituição para aplicar um golpe em pessoas sensíveis a ajudar na formação dos futuros padres. Soubemos da atuação concreta desse rapaz nos bairros Saci e Vila Operária. Ele não é seminarista. Não apoiamos e nem incentivamos que os seminaristas procurem ajuda financeira. Repudiamos qualquer atividade deste tipo", disse o padre. 

A jornalista e coach, Mariane Aquino, foi uma das vítimas do falso seminarista. Ela quem denunciou a atuação do suspeito aos padres que compõem as casas de formação sacerdotal no Piauí. 

"Ele entrou na minha casa porque veio com uma vizinha que eu pensava que o conhecia, mas depois descobri que ela também tinha sido vítima. Como sou muito de dentro da igreja e conheço muitos padres, comecei a fazer várias perguntas e ele respondia tudo, passava confiava. falou nome dos padres, parecia ser uma pessoa familiarizada...Na conversa disse que estava precisando de pouco mais de R$ 120 para uma viagem. Ele sempre com o terço na mão e falando que confiava em Jesus", relata Aquino. 

Ela conta que- diante do apelo do suspeito- entregou uma pequena quantia e outros vizinhos também colaboraram repassando valores em dinheiro. Mesmo demonstrando segurança nas respostas, Mariane disse que desconfiou do suspeito pois sabia que a conduta não fazia parte dos seminaristas. 

"Mas como ele disse que era o único seminarista que não tinha conseguido o valor total necessário para a viagem, resolvi ajudar. Quando ele saiu, liguei para alguns padres e descobri que havia caído em um golpe, que tinha sido vítima de estelionato. Então, saí imediatamente para ver se ainda o encontrava, mas já havia sumido", completa a jornalista que, em uma pesquisa na internet, reconheceu Pedro (que na verdade chama-se Luciano Lages Trindade), em uma matéria policial.

O padre Anderson Fábio orienta que a população denuncie, caso seja abordado pelo suspeito. "Oriento que as pessoas não ofereçam nada para ele e chame a polícia, que denuncie", reitera. 

No Piauí, existem três casas de formação sacerdotal: Seminário Propedêutico São João Paulo II, Seminário de Filosofia Dom Edilberto Dinkelborg e Seminário Interdiocesano Sagrado Coração de Jesus que abrigam seminaristas oriundos da arquidiocese de Teresina e das dioceses de Picos, Floriano, São Raimundo Nonato, Oeiras, Bom Jesus, Campo Maior e Parnaíba. As três casas de formação sacerdotal abrigam mais de 100 seminaristas. 

"Geralmente, o curso de formação é de oito anos. Nesse período, cada diocese envia para o seminário um valor correspondente para a manutenção do seminarista (estudo e moradia) que é fruto dos dízimos e ofertas dos fieis. Além disso, temos projetos que trabalham diretamente com a generosidade dos nossos católicos para ajudar também os seminaristas, como o projeto Terra Sacerdotal, em Teresina. São frentes que nós criamos para que possamos manter os seminaristas", finaliza o padre.

O Seminário Maior divulgou nota sobre o caso, informando que a conduta não condiz com a de seus seminaristas e disponibilizou um número de telefone para esclarecimentos: (86) 3227 3848.

Veja a nota na íntegra:
Fonte: www.cidadeverde.com

Notícias Relacionadas

Policial 6411235195654168144

Publicidade

Acessos

Inscreva-se

FACEBOOK

Arquivo de Notícia

Parceiros

item